PPL - Crowdfunding Portugal. Plataforma disponível em PPL.com.pt

quarta-feira, 18 de abril de 2012

PPL 2.0


A defining moment for PPL Crowdfunding Portugal.

Today we launch our new platform.



This includes functionality requested by and validated with our colleagues, the users.

One of the main changes is the bi-lingual option where now all Portuguese and English speakers will be able to launch, source, fund and collaborate across any projects.

We want to thank the crowd for supporting us, believing in PPL and all the cool projects that have been shared.
Thank you also to all the entrepreneurs and idea pitchers as PPL is what you have shared and believed in.

Together we can go further. Together we can accomplish!

Collaborative finance - At a time when alternatives to traditional forms of finance are welcome and the technology to deliver them is abundant, crowdfunding has a strong potential to positively disrupt the entrepreneurial generation setting and grow to a position of significant relevance in society.

So here's PPL 2.0


quarta-feira, 11 de abril de 2012

A Taste of Crowdfunding


A Ana Canhoto, uma referência internacional nas áreas de Digital Marketing, Customer Relationship Management e Competitive Intelligence, escreve-nos sobre o fenómeno do Crowdfunding.

Neste post do seu blog, relaciona o investidor em crowdfunding com o consumidor final de um produto ou serviço e o relevante envolvimento deste na cadeia de valor e no processo criativo de um empreendedor.

(R)Evolução do papel do consumidor final...

A Taste of Crowdfunding - by Ana Canhoto

A Ana lecciona actualmente em Oxford Brookes University depois de ter passado pela London School of Economics e pela Henley Business School.




segunda-feira, 9 de abril de 2012

"Livros de Ontem" financiados no PPL Crowdfunding Portugal

No Publico de 7 de Abril

"Três estudantes de Lisboa recorreram ao "crowdfunding" para criar a plataforma "Livros de Ontem". Todos saem a ganhar: os estudantes mais velhos fazem dinheiro e os mais novos encontram as obras a preços mais baixos"

Uma excelente forma de empreender, obtendo o envolvimento dos futuros clientes... antes de investir e lançar o negócio, validando assim com antecedência o interesse do público alvo em obter o seu produto.
Empreendedores inovadores em Portugal dão o mote utilizando uma ferramenta de Crowdfunding (ppl.com.pt - PPL Crowdfunding Portugal) para se financiarem e assim lançarem a sua empresa.


"Os livros académicos podem ser caros, estar esgotados nas livrarias ou mesmo já não ser produzidos. O projecto "Livros de Ontem" vem oferecer uma alternativa aos estudantes. João Batista, 19 anos, conta que o objectivo da iniciativa é “oferecer aos estudantes os livros obrigatórios de que necessitam a um preço que consigam pagar”."

A Giant Step for Entrepreneurship in America

Equity Crowdfunding aprovado na lei dos EUA!

Equity Crowdfunding = crowdfunding em que investidor pode receber, para além de recompensas, acções numa empresa que pretenda financiar assim o seu projecto.

De acordo com a Time: Um passo gigante para o empreendedorismo nos EUA

Veja o artigo completo aqui:
The JOBS Act Signing

JOBS : Jump Start Our Business Startups

terça-feira, 3 de abril de 2012

Entrevista a João Correia

Ao que parece, para um projecto ser bem sucedido, não basta divulgá-lo numa ampla rede de contactos. Como é que se consegue traduzir o passa palavra em apoios ao projecto?

É necessário conseguir com que o público-alvo acredite no projecto. Se entusiasmar as pessoas o suficiente, elas acabam por se tornar em promotoras do projecto, contactando os amigos, partilhando os vídeos e fotos, e eventualmente, fazendo doações. Resume-se a uma mistura entre contactar as pessoas certas, apertar os botões indicados, e um pouco de sorte.

Qual a maior dificuldade que enfrentaste durante a promoção do teu projecto no PPL?

Não diria que foi exactamente uma dificuldade, mas desde o início da promoção do documentário e em especial do projecto de Crowdfunding, que quis transparecer que as doações não eram nenhum estratagema para obter um financiamento indiscriminado, mas uma forma de envolver o público de uma forma mais pessoal, transformando-os no "combustível" do projecto. Optei por ter uma relação mais próxima, esclarecendo as dúvidas que iam surgindo, de forma a conseguir transmitir exactamente o que pretendia fazer.

Da(s) estratégia(s) que adoptaste, quais foram mais eficazes? E menos?

O vídeo foi a ferramenta mais eficaz para promover o projecto, e foi exactamente neste pormenor que investi mais, pois sei que as pessoas têm uma predisposição maior para ver um pequeno vídeo e partilhar o mesmo. Se tivesse feito um vídeo onde apareço sentado a falar sobre o projecto, ninguém o ia partilhar.
O Twitter foi a plataforma onde tive menos feedback, mas do pouco que tive, foi bastante importante, e como tal, não diria que foi menos eficaz.

O que farias diferente se lançasses uma nova campanha?

Provavelmente apostaria ainda mais nos vídeos, assim como numa forma de colocar o público como promotores activos do projecto, através de concursos e/ou desafios semanais.

Para além do financiamento do projecto, qual o impacto da tua campanha de crowdfunding? Podes mencionar por exemplo efeitos de divulgação, apoios de que não estavas à espera, novas oportunidades que tenham surgido durante/após financiamento do projecto, etc.

Surgiram propostas para outros trabalhos não relacionados com o projecto, a ADXTUR que coordena a rede das Aldeias do Xisto conseguiu arranjar-me alojamentos e algum apoio monetário, factor que se tem revelado crucial para a sobrevivência do projecto, e cheguei a ter pessoas que se ofereceram para me disponibilizar alojamento nas próprias residências, assim como material que eu necessitava e não consegui adquirir com o montante recolhido através das doações. Todos estes gestos apenas vieram demonstrar que há uma enorme vontade de apoiar projectos deste género, e que iniciativas do género são reconhecidas por desenvolver ideias que provavelmente nunca chegariam a ver a luz do dia de outra forma.

Qualquer recomendação ou feedback acerca da plataforma, dos processos etc. são obviamente bem-vindas!

Penso que uma versão da plataforma em língua inglesa seria bem recebida, visto o modelo actual apenas alcançar quem fala/lê português.